Promoção e Prevenção em Saúde Mental 

Um número grande de pesquisas tem mostrado que muitas condições de adoecimento mental podem ser evitadas através de intervenções baseadas em evidências. Sendo assim, as propostas de promoção e de prevenção em saúde mental têm se mostrado eficazes para diversos públicos e temas específicos. Esforços da OMS têm sido feito para a implementação de programas preventivos e de promoção em saúde mental, considerando o aumento crescente de adoecimento mental, principalmente os transtornos de depressão e ansiedade.  Segundo dados da OMS 1 em cada 5 adultos sofre de transtorno mental e mais da metade destas pessoas não são tratadas e muitas o adoecimento não é ao menos detectado.

A promoção da saúde mental tem como objetivo promover uma saúde mental positiva através do aumento do bem-estar psicológico, da resiliência e a da criação de ambientes de vida seguros.  Já a prevenção está relacionada com a redução, a prevalência, a recorrência de transtornos mentais bem como a redução de sintomas e a condição dos riscos do adoecimento diminuindo o impacto nas famílias e na sociedade, como afirma ”(Mrazek & Haggerty, 1994). Apesar de serem conceitos diferentes, resultados destas ações se complementam.

A promoção e a prevenção em saúde mental estão pautadas nos fatores de risco e proteção que contribuem para a saúde ou adoecimento. As estratégias são minimizar os fatores de risco ao mesmo tempo em que se fortalecem os fatores de proteção. Muitos dos fatores de proteção estão relacionados às competências individuais como, estilo de vida e as competências sociais e emocionais. que são  totalmente possíveis de serem desenvolvidas e aprendidas em qualquer faixa etária  e em ambientes como escolas, famílias, organizações e comunidades 

 

A maioria dos transtornos mentais têm origem na infância e adolescência, com mais da metade surgindo até os 14 anos. Sendo assim, intervenções eficazes nestas faixas etárias são fundamentais para a redução do adoecimento mental. Como por exemplo, o treinamento de pais jovens no sentido de desenvolver habilidades que favoreçam vínculos seguros e saudáveis, através de técnicas e intervenções diárias afim de gerar ambientes familiares potencializadores de saúde mental. As intervenções de promoção e prevenção em crianças e adolescentes também despontam com grande eficácia diante dos desafios que a vida se impõe ao longo do processo de desenvolvimento.

É nesse campo que o Epsi se empenha, através de intervenções eficazes e baseadas em evidências, para desenvolver as capacidades individuais que favorecem a proteção da saúde mental ou a minimização do sofrimento causado pelo adoecimento e a construção de uma saúde mental mais positiva.

Lucinê Costa e Silva -

Psicóloga

CRP04/22623