• Lucinê Costa e Silva - Psicóloga

TRAUMA - experiência que só você sabe o quanto dói

Atualizado: Ago 5



Sim, só quem já vivenciou uma situação traumática vai entender a dimensão deste sofrimento.


“ DEIXE ISSO PARA TRÁS, ACONTECEU HÁ TANTOS ANOS”. Alguém vai dizer isto para você, mas na verdade, com experiências traumáticas não é bem assim que funciona.


A mente e o corpo reagem como se tudo estivesse acontecendo novamente, as lembranças são tão perturbadoras tal quando ocorreu o trauma, por isso é necessário cuidados profissionais para construir um outro significado para estas memórias.


Muitas pessoas que vivenciaram experiências traumáticas podem continuar sofrendo muito. Não significa simplesmente esquecer, geralmente ocorre uma desestruturação psicológica que pode durar por muito tempo.


Estas memórias são muito difíceis de lidar, pois geram sentimentos de medo e tristeza podendo desencadear vários problemas para a vida da pessoa como por exemplo:


• Evitar pessoas, lugares ou situações que lembram o evento;

• Evitar falar sobre assunto relacionado ao evento;

• Uso de drogas ou álcool para parar as lembranças do evento traumático;

• Ter dificuldades em se concentrar;

• Ter problemas para dormir;

• Sentir-se sempre ansioso e no limite;

• Se auto – agredir (automutilação);

• Assumir riscos mais do que o habitual;

• Ter pensamentos e sentimentos negativos;

• Estar constantemente irritável, ansioso, com medo, triste, culpado ou envergonhado;

• Pouco interesse por atividades que costumava ter interesse;

• Sentir-se isolado ou se isolar de amigos e família;


O trauma emocional e psicológico é o resultado da vivência de eventos muito estressantes que destroem a sensação de segurança fazendo com que a pessoa se sinta desamparada e em uma situação de perigo que envolve uma ameaça à vida e à sua segurança. O trauma pode ser algo que aconteceu apenas uma única vez, ou algo que continua acontecendo por semanas, meses ou até anos.

Exemplos de eventos traumáticos que podem ocorrer com as pessoas apenas presenciando ou sendo vítimas:

· Perdas por mortes repentinas de amigos ou familiares;

· Assaltos;

· Desastre natural;

· Acidentes graves;

· Incidente de violência, como por exemplo, violência doméstica física ou verbal, bullying, ABUSO SEXUAL ou físico;

Não são os fatos objetivos que determinam se um evento é traumático, mas a experiência emocional do evento vivenciada pela pessoa. Quanto mais assustada e desamparada a pessoa se sentir, mais provável que fique traumatizada. O que pode ser traumático para umas pessoas pode não ser para outras.

Todos os tipos de eventos traumáticos causam muita aflição, angústia, medo e muitas sensações emocionais esmagadoras tornando difícil para as pessoas que vivenciam entender ou aceitar o que aconteceu, e muitas vezes levam-nas a duvidarem de coisas que elas sempre acreditaram.


Por exemplo: depois de um evento traumático, uma pessoa pode não acreditar mais que o mundo é um lugar seguro, pode pensar que todas as pessoas são más, que algo de ruim pode acontecer a qualquer momento. Essas crenças derivadas da experiência traumática podem levar a um sério comprometimento em todas as áreas da vida.

Se você foi exposta(o) a um evento traumático em algum momento da sua vida é importante buscar ajuda o mais cedo possível.


A psicoterapia é um dos tratamentos mais recomendados para quem vivenciou situações traumáticas pois, tem mostrado resultados positivos na redução de sintomas e do surgimento de transtornos tanto de curto quanto de longo prazo.

Se perceber que tem sofrido devido a estas memórias traumáticas e desejar ajuda profissional estou aqui para te acolher.


Se desejar receber ajuda online você me encontra aqui

Se desejar receber ajuda presencial no consultório você me encontra aqui.

Um abraço


Lucinê - Psicóloga CRP04/22623

56 visualizações